terça-feira, 4 de novembro de 2014

LÉO GUEDES ETCHEGOYEN - PY3EB

Caros amigos e colegas:
Hoje vamos lembrar o nosso saudoso colega Léo Guedes Etchegoyen - PY3EB, que tanto fez pela LABRE.
Um bom fim de semana para todos.
Forte abraço.
Ivan Dorneles Rodrigues - PY3IDR
Site: www.memoriallandelldemoura.com.br


LÉO GUEDES ETCHEGOYEN - PY3EB

22.03.1925 - 08.03.2003

Por Ivan Dorneles Rodrigues - PY3IDR


         Militar, general do Exército Brasileiro, gaúcho, natural de Porto Alegre, nasceu a 22 de março de 1925, filho do general Alcides Gonçalves Etchegoyen (que ao lado do irmão Nelson, também militar, participou de revoluções nos anos 30) e Regina Guedes Etchegoyen, tinha dois irmãos que também seguiram carreira militar: Ciro e Alcides.
         O general Léo Guedes Etchegoyen atuou como Chefe de Polícia do Rio Grande do Sul e Chefe do Estado-maior do III Exército durante a ditadura militar.
         A vida no Exército começou na Escola Preparatória de Cadetes de Porto Alegre e seguiu na Academia Militar das Agulhas Negras - AMAN, em Resende-RJ. Foi declarado aspirante a oficial em 1945.
         Em 1964, após o golpe militar, Etchegoyen foi nomeado Chefe de Polícia do Estado, função que exerceu durante um ano. Depois, comandou o 1º Regimento de Cavalaria Mecanizada, em Santo Ângelo-RS.
         No final da década de 60, foi chamado a Brasília para atuar como chefe da Assessoria Especial do presidente Emílio Garrastazu Médici. Foi ainda adido militar do Exército na Suiça, chefe do Estado-maior do II Exército, em São Paulo, comandante da 10ª. Brigada de Infantaria Motorizada, em Recife-PE, chefe do Estado-maior do III Exército, em Porto Alegre, e comandante do Departamento de Assistência à Saúde do Exército.
         Em 1983, quando já estava na reserva, uma situação inédita ocorreu em sua carreira. Por ter sido adido militar na Suiça, Léo Guedes Etchegoyen foi sondado para depor na CPI da Dívida Externa no Senado, que também investigava as contas de brasileiros naquele país. Em entrevistas, afirmou que se fosse convocado, não fugiria de sua responsabilidade.
         O general Newton Cruz, na época comandante militar do Planalto, não gostou das declarações de Léo Guedes Etchegoyen, dizendo-se inconformado com os “traidores da pátria e do Exército Brasileiro”, em uma reunião com outros militares, em Brasília. Entre eles estava o então capitão Sérgio Etchegoyen - ciente da referência direta ao seu pai -, que manifestou contrariedade e recebeu voz de prisão.
         Depois, em entrevista sobre o episódio, o general Léo Guedes Etchegoyen disse que Newton Cruz “não tinha postura nem compostura”, o que lhe acarretou seis dias de prisão em Porto Alegre.
         Etchegoyen adorava o radioamadorismo. Era sócio remido da LABRE e ingressou no radioamadorismo a 18 de maio de 1962, tendo recebido o Indicativo de Chamada PY3BNQ, mais tarde PY2FFU e PT2FFU. Quando voltou a residir no Rio Grande do Sul, teve o Indicativo de Chamada de sua estação alterado para o inicial PY3BNQ e por último PY3EB.
         A 6 de dezembro de 1970 Léo Guedes Etchegoyen, na época PY2FFU, foi eleito Diretor Seccional da LABRE-DISTRITO FEDERAL. Para Vice-Diretor Seccional foi eleito Daher Moisés - PY2EQK. A posse realizou-se a 12 do mesmo mês, ocasião em que também foram empossados os demais membros nomeados para os outros cargos da DS/DF: 1º Secretário - Henrique Eduardo F. Hargreaves - PY2ESG; 2º Secretário - Luiz Carlos Dinnies Camargo - PY2GFK; 1º Tesoureiro - Pedro de Souza Maciel - PY2GAT; 2º Tesoureiro - Dalton Rafael de Barros - PY2FFN; Diretor do Departamento de QSL - Waldemar da Silva Pinto Filho; Diretor do Patrimônio: Yvanildo de Figueiredo Andrade de Oliveira - PY2EPU; Comissão Técnica: Waynel Luize - PY2ARD, Lício Augusto Ribeiro Maciel - PY2EZW e Anésio Alves Miranda - PY2FFQ.
         Quando entrou em vigor a Norma de Execução do Serviço de Radioamador - N-05/75, aprovada pela Portaria nº. 497, de 06.06.1975, do Sr. Ministro de Estado das Comunicações, na qual cada Unidade Federativa passou a ter o seu próprio prefixo (PY1 para RJ, PP1 para ES, PY2 para SP, PP2 para GO, PT2 para DF, e assim por diante), Léo Guedes Etchegoyen passou a ter o Indicativo de Chamada PT2FFU.
         Graças a atuações decisivas do Gen. Léo Guedes Etchegoyen - PY3EB, ex-PY3BNQ, PY2FFU e PT2FFU; do ex-governador do Distrito Federal, Cel. Hélio Prates da Silveira, gaúcho de São Gabriel; de Remy Flores Toscano - PT2VE, ex-PY3AKG; de Luiz Alfredo da Silva - PY2GIP; de Gonçalo Rafael d’Ângelo - PY2GBZ e de José George da Rocha - PY2GN, a LABRE possui sua sede as margens do Lago Paranoá, zona nobre de Brasília.
         Faleceu em sua cidade natal, no Hospital Moinhos de Vento, na madrugada do dia 8 de março de 2003, aos 77 anos de idade, vítima de enfarte. Seu corpo foi cremado no mesmo dia.
         Era casado com dona Lúcia Westphalen Etchegoyen e deixou 5 filhos: Sérgio (Chefe da Comissão do Exército Brasileiro em Washington, nos Estados Unidos), Maria Lúcia, Alcides Luiz, Marcos e Roberto; e 10 netos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário