sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Alentejo testa maior radiotelescópio do mundo a instalar a partir de 2016 em África e na Austrália

Lusa
05 Jan, 2013, 15:18
O concelho de Moura está a servir para testar os protótipos do maior radiotelescópio do mundo, o SKA, que será instalado a partir de 2016 em África e na Austrália, num investimento superior a 1.500 milhões de euros.
Antes da instalação efetiva, a Herdade da Contenda, em Moura, no Baixo Alentejo, está a ser "a plataforma tecnológica de teste das soluções" do SKA na Europa, disse hoje à agência Lusa Domingos Barbosa, membro europeu do projeto.
"A Europa não tem um deserto com condições climáticas e geográficas compatíveis" com o SKA, mas Moura dispõe de "condições propícias para testar os protótipos", porque tem um espetro radioelétrico limpo, "a maior radiação solar da Europa" e um clima muito semelhante ao dos países onde o SKA vai ser instalado, frisou.
Numa primeira fase, que arrancou em 2010, os protótipos do SKA foram instalados e testados no terreno na Contenda e, em breve, serão alvo de ensaios climáticos em câmaras térmicas na empresa municipal de Moura Lógica para testar a resistência dos materiais a temperaturas elevadas.
"Parte das infraestruturas do SKA ficará em zonas relativamente remotas e onde será difícil criar uma rede de energia elétrica" para as alimentar e, por isso, algumas terão que funcionar de forma autossuficiente e através de energia solar, disse.
Nesse sentido, durante o primeiro trimestre deste ano, através do projeto "Biostirling 4 SKA", orçado em seis milhões de euros e financiado pela Comissão Europeia, começarão a ser instalados na Contenda os sistemas de fornecimento de energia solar para os protótipos do SKA.
Trata-se de concentradores solares, "uma espécie de antenas parabólicas em vidro", que, através de concentração solar térmica, convertem a radiação solar em energia elétrica.
"Os protótipos do SKA serão os primeiros autossuficientes energeticamente na área da radioastronomia e das ciências do espaço" e o SKA será "um sistema de rastreio do universo alimentado a energia solar", frisou.
Após a instalação dos sistemas de energia, os protótipos do SKA voltarão a ser instalados na Contenda e, até final de 2015, terão que estar funcionais e terá que haver um estudo de fiabilidade do sistema, indicou.
Segundo Domingos Barbosa, as soluções de energia solar para os protótipos do SKA, encontradas em Moura com a participação da indústria portuguesa, "terão um impacto social elevado", porque são "encaradas como percursoras de iniciativas capazes de ajudar a levar energia elétrica fiável a cerca de 1,6 mil milhões de pessoas", que vivem sem eletricidade em zonas onde é difícil instalar redes de energia, nomeadamente na África subsariana.
A construção efetiva do SKA deverá começar a partir de 2016, as primeiras observações estão previstas para 2017 e o radiotelescópio poderá começar a funcionar em pleno até 2025, indicou.
Um terço das estações do SKA vai ser instalado na Austrália e dois terços serão instalados na África do Sul e em Moçambique, Namíbia, Botsuana, Zâmbia, Quénia, Madagáscar, Ilhas Maurícias, Gana e talvez também em Angola.
O SKA irá ocupar 3.000 quilómetros, terá 2.500 antenas parabólicas e 250 estações e poderá cobrir uma "ampla gama de frequências" entre os 30 megahertz os 20 gigahertzs.
O projeto SKA, promovido por um consórcio que envolve 65 institutos de 20 países, será financiado em parte por fundos comunitários e irá "revolucionar o conhecimento sobre a evolução do universo", frisou.
"A Europa vai dotar-se de uma tecnologia capaz de rastrear o universo 100 a 500 vezes mais rápido" e o SKA será "50 vezes mais sensível do que os atuais radiotelescópios", disse.
O SKA vai permitir observar e cartografar as primeiras estrelas e galáxias, mapear fenómenos violentos no universo, como buracos negros, detetar riscas de moléculas precursoras de vida em sistemas planetários distantes e vida inteligente no universo.
_______________________________________________-
Message: 7
Date: Thu, 10 Jan 2013 15:23:48 +0000
From: João Gonçalves Costa <joao.a.costa@ctt.pt>
Subject: ARLA/CLUSTER: Alentejo testa maior radiotelescópio do mundo a
        instalar a partir de 2016 em África e na Austrália
To: "CLUSTER (cluster@radio-amador.net)" <cluster@radio-amador.net>
Message-ID:
        <79AA8079D04E5B4D982F86510691464607F4BBDF@AMSPRD0410MB361.eurprd04.prod.outlook.com>
Content-Type: text/plain; charset="iso-8859-1"

Nenhum comentário:

Postar um comentário